Páginas da vida.

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

01 de outubro de 2010...

Oi amor! Surpresa. Eu estou escrevendo pra você amor, acredita nisso? O que aconteceu comigo? Eu não sei amor, eu não sei. Só sei que eu te amo muito e que você foi a minha vida. Amor calma. Eu estou apenas com vontade de dizer o quanto você foi importante pra mim. Nada como oferecer pra você belas palavras em um começo de mês. Ei amor, hoje é dia primeiro de outubro de dois mil e dez. Que felicidade, em saber que você continua existindo. Que alegria me dá em saber que o seu sorriso te fortalece. Ei amor. Eu quero estar com você, quero cuidar de você. Tadinha, deve estar ai chorando ao ler minha carta. Calma amor, eu estou aqui. Vou te ajudar em sua longa caminhada. Amor calma, eu não sou a sua outra metade? Então, eu estou aqui, somente para te completar, da maneira impossivel, mais real: dentro de nós. Enfim amor, eu não tenho muito tempo, só quero que saiba de apenas uma certeza: eu vou te amar pra sempre. Por isso, faço-te apenas um pedido: se cuida minha pequena, por mim? 
Ela se desesperou e apenas concluiu: aquela carta não foi enviada, mais foi escrita dentro de uma verdade. Quem escreveu? O seu falecido e eterno amor. Talvez ele teria escrito, antes de partir, somente para ajudar no recomeço de um mês, para ajudar nos desânimos diários, para dar a ela um alivio necessário em sua dor,
oferecendo mais uma dose de sobrevivência.
texto fictício.

7 comentários:

Nina disse...

Ai que fofo! E triste. No início,achei que a história ia terminar bem,mas quando li as últimas linhas,senti um nó na garganta(quase choro viu?).

Amei o texto.

Bjos

Nina

Joyce Kelly disse...

Que texto profundo...
E nos deixa claro o quão é importante não apenas escrever, mas também falar, demonstrar todos os nossos sentimentos, porque um dia isso poderá nos ser impossível.

Fiquei feliz com a sua visita.
Vim, gostei e por aqui vou ficar...
Grande abraço.

Flavia C. disse...

E não tem texto mais bonito do que aquele que é sentimento derramado em cada palavra! Gostei muito daqui, tô seguindo :)

jefhcardoso disse...

Comentário fictício: Aline, e tudo que a conforte será bem vindo nessa ausência que machuca quem lê. É tão puro, tão súplice, tão delicado...

Abraço!

Jefhcardoso do http://jefhcardoso.blogspot.com

Kivia Nascentes disse...

Eu pensei "ai que dor", e me vi a anos atrás.

Amanda R. disse...

Nossa que lindo *-* http://charmosaeestilosa.blogspot.com/

marina (: disse...

- noossa , que lindo *-*'
Emocionei aqui , adorei mesmo. E gostei também do seu cantinho. Sucesso.
Um beijo :*