Páginas da vida.

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

O dia estava cinza. Tudo parecia estar bem, até a pergunta sufocante aparecer:
Ele: - Porque você me ama tanto?
Segundos depois da pergunta feita, o coração dispara, e o mundo para. Como responder determinada pergunta? Inventar é uma saida? Não neste caso. Eu estava perdida, as palavras me acusaram, e eu agia naturalmente dentro da minha verdade.
Ela: - Eu te amo tanto.. porque simplesmente você tornou-se tudo em mim.
Ele: - Defina-se o seu tudo, defina o meu eu em você?
Ela: - Vou definir você como alguem que eu simplesmente quero e não quero. Você pode ser a minha dose perfeita e doce. Ou a minha ultima dose oferecendo o imperfeito e o amargo. Pra mim você é vida e morte. É frio e calor.  E talvez não haja tanta definição nos opostos dos meus sentimentos. Porque quando se tem duas opções, você torna-se naturalmente as duas de uma só vez. Então, você simplesmente é nada em tudo.

3 comentários:

Nina disse...

Lindo o post!!

Bjos

Cízz disse...

Ahr, que lindo!
"vc simplesmente é nada em tudo!" éh perfeita essa definição. Gostei muito!!!
Boa segunda!
:3

Cátia disse...

Adorei o blog :D:D