Páginas da vida.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Apesar de tudo - Parte 1

Introdução: Sophia tem 16 anos e tenta realizar o seu maior sonho dentro de dificuldades que ela vem sofrendo durante sua vida. Tudo pode mudar, quando ela tem o seu mundo nas mãos. Sosô é uma menina educada e encantadora, que procura seu final feliz, apesar de ter uma mãe doente e um pai bêbado da pior espécie. Ela quer fazer de sua vida um ponto principal, ou apenas um motivo para continuar vivendo. Porque coragem ela não tem mais!
Meu nome é Sophia, tenho 16 anos e moro no interior de São Paulo, todos me chamam de sosô ou phia. Dizem que aqui onde eu moro, é o lugar mais observado entre os ladrões. Eu realmente não sei ao certo  porque, porém, minha mãe sempre diz, que é para eu tomar um devido cuidado ao , raramente, sair de casa. Mudei aqui, quando tinha apenas 10 anos. Estudo na mesma escola, desde a primeira série. Eu sempre gostei de lá. Minha familia, não tem condições financeiras exatas então eu me contento com o que tenho. Meu pai além de ser um bom trabalhador, é um bêbado da pior espécie. E todos me chamam de " filha do drogado". E dentro da situação meu maior medo é meu pai e minha mãe brigarem. Eu sou filha única, e não sei ao certo, como enfrentar essa situação.
Quando me perguntam o meu maior sonho eu digo que é me especializar em medicina, eu sempre quis cuidar da saúde daqueles que precisam. Sempre quis salvar e ajudar, para ganhar em troca um único sorriso, que seja apenas, verdadeiro.
No colégio, tenho vários amigos e conheço eles desde quando eu nasci. Durante a minha vida, quando meus pais discutiam eu corria para a casa de Bela ( minha melhor amiga do presente e de infância ) para me esconder. E meu pai sempre pegava uma faca para atacar minha mãe. Dentro dessa e de outras confusões eu sempre me pergunto:
" Será que eu sou o maior erro da vida deles? Ou eu sou apenas o motivo deles se odiarem?"
Todas essas perguntas vem em minha mente. E todos os dias a minha vontade é de esconder-me em um buraco escuro e sem saída, até tudo isso passar. Entretanto, eu vejo dentro de mim sonhos, que eu sinto a necessidade de realizar.
O meu ponto fraco é minha mãe. Tadinha! Ela sofre tanto com o meu pai, porque ele só embriaga-se. E quando chega em casa já é hora de ir trabalhar. Ele nunca deixou me faltar nada, além da sua presença como pai. Minha mãe chora todas as noites, e quando eu vou até a porta do seu quarto ela está ajoelhada se perguntando o " por quê" da situação. Eu volto correndo para o meu quarto, me ajoelho e pergunto o " por quê" da minha mãe estar se lamentando. Eu não gosto de vê-la assim. Isso me corrói por dentro, me sufoca. E eu tenho medo dela tentar se destruir, aliás ela está se destruindo aos poucos. Porém.. por esses dias, tudo mudou...

3 comentários:

Andressa Keka disse...

espero anciosamente a muudança!

dear sarah disse...

Que bom que mudou, e aposto que continuará mudando.

Vanessa disse...

Eu tb \o/