Páginas da vida.

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

(...)

Odeio pessoas sem opinião, invejosas e tudo o que pode influenciar nisso. Odeio quem não sabe falar, e odeio mais ainda quem não tem a onde depositar seus sonhos. Odeio quem não sabe amar direito, e odeio também quem ama direito até demais. Odeio pessoas bipolares. Odeio muito calor, e odeio também muito frio. Odeio quem acusa demais e não vê o seu próprio nariz. Odeio pessoas que procuram outras, só por interesse. Odeio o planejado, assim, como eu odeio quem planeja melhores momentos. Odeio quem não sabe fofocar direito, e odeio também quem não consegue guardar segredo. Odeio quem sabe mentir e odeio quem exagera nas verdades. Odeio explicações vãs. Assim como eu odeio quem pratica a violência. E odeio também quem mata por prazer. Odeio guerras, brigas e discussões. Assim, como eu odeio pessoas preconceituosas e racistas. Odeio desigualdade. Simplesmente, odeio pessoas que não tem a capacidade de fazer sua parte para melhorar o mundo. Assim como eu odeio pessoas que não tem caráter suficiente, para assumir algumas atitudes. Por isso, o que eu mais odeio são pessoas que copiam, falam, criticam, mais não tem a capacidade suficiente, de viver sua própria vida. Por isso eu odeio quem sabe contornar situações, que deveriam ser controladas e resolvidas. Por isso declaro: odeio pessoas que fazem tudo errado, e acham que estão fazendo o certo. Odeio também, pessoas que fazem mil coisas, sem motivo ou objetivo.  Odeio quem se acha o melhor. Porque simplesmente, ninguém é bom o suficiente, ninguém é perfeito e ninguém faz tudo correto. Entretanto, ainda bem que, as vezes, eu acabo me odiando também.

2 comentários:

Alexandre da Fonseca disse...

LINDO TEXTO!! GOSTEI DO SEU BLOG, SUCESSO E MUITA PAZ...BJS VISITE: WWW.INSTITUTOEUQUEROPAZ.BLOGSPOT.COM

A Noiva Cadáver disse...

Me odeio como odeio todos ous outros individuos. Parabéns, ótimo texto.